Informações de Mercado

Acesse nossas publicações

Análises do segmento de foodservice, estudos econômicos, papers relevantes, documentos selecionados para a sua tomada de decisão.

A inteligência de mercado do IFB ao seu dispor.

Quer conhecimento estratégico?
Seja bem-vindo!

Clique, consulte, baixe.

Entrar
Negócios

Ingredion cresce 7% no 3º trimestre e renova metas para o Brasil

Postado em 16 de novembro de 2020

A Ingredion, líder global em ingredientes para as indústrias de alimentos, bebidas e nutrição animal, viu seu lucro operacional subir 30% neste ano na América do Sul não comparativo anual, considerando os ganhos em moeda local. A região sul-americana cresceu 7% em vendas no intervalo.

No mundo, a empresa registrou US $ 1,5 bilhão de faturamento de julho a setembro, indo para cerca de US $ 4,4 bilhões no acumulado de 2020. Para complementar o portfólio, uma empresa anunciou recentemente a aquisição da Verdient Foods Inc, Especializadas proteínas à base de planta, com sede em Vanscoy, no Canadá.

No ano passado, a Ingredion, que tem capital aberto na bolsa de Nova York (Nyse), faturou US$ 6,2 bilhões, e a América do Sul foi responsável por US$ 1 bilhão – metade desse valor foi gerado no Brasil. A receita da área de especialidades foi responsável por 20% desse faturamento.

“O objetivo global da empresa é que, em cinco anos, a área de especialidades chegue a 25% do total e continue a crescer dois dígitos por ano”, disse Elias em entrevista ao Valor.

A decisão de investir nesse tipo de negócio foi pautada por pesquisas que identificaram o desejo dos consumidores por ingredientes mais naturais. Na América do Sul, pesquisa feita em parceria com a consultoria Opinaia, mostrou que 89% dos consumidores querem consumir mais produtos com proteínas vegetais, e que 92% estão preocupados com a preparação, embalagem e transporte dos alimentos.

“Somos uma empresa que traz soluções de fora para dentro para atender os nossos clientes. Mas desenhamos junto com eles – a indústria – o que precisam”, afirmou o executivo.

Em suas outras passagens pelo Brasil, Elias foi CFO da Unilever e da DuPont. Começou na Ingredion em 2016, como vice-presidente de finanças e, no ano passado assumiu interinamente a presidência dos países da América do Sul de língua hispânica.

“Tanto eu quanto a companhia conhecemos as especificidades da região e do Brasil, e por isso não nos assustamos com recuos econômicos”. Elias acredita que o Brasil crescerá entre 3% e 4% no ano que vem. “Não vemos uma retomada em V, mas algo lento e gradual, que vai nos vai nos abrir oportunidades para manter essa estratégia de crescimento”.

Sobre a pandemia da covid-19, Elias disse que o principal impacto para a Ingredion foi o menor volume de lançamentos pela indústria, que cortou investimentos previstos. E que agora a aposta da companhia é que esses ciclos de inovação serão menores e mais lentos.

Plant Based

Na área de plant based, o último grande investimento da Ingredion foi de US$ 200 milhões na expansão de sua fábrica no Canadá, em agosto de 2019. A área de redução e substituição de açúcar também recebeu US$ 40 milhões no México no fim do ano passado.

“O Brasil é particularmente importante para a área de texturizantes de amidos, porque têm uma substancial oferta de milho”, disse.

Elias também não descarta que, no futuro, o país possa ser fornecedor de pulses – isto é, ervilhas, lentilhas, grão de bico e outras leguminosas que podem substituir as proteínas vegetais.

Foto: reprodução

 

Informações de Mercado

Acesse nossas publicações

Análises do segmento de foodservice, estudos econômicos, papers relevantes, documentos selecionados para a sua tomada de decisão. A inteligência de mercado do IFB ao seu dispor.

Nome*
E-mail*
Empresa*