Unilever - Camille Lau - Setembro 2020 - ©paulobrenta-8

Informações de Mercado

Acesse nossas publicações

Análises do segmento de foodservice, estudos econômicos, papers relevantes, documentos selecionados para a sua tomada de decisão.

A inteligência de mercado do IFB ao seu dispor.

Quer conhecimento estratégico?
Seja bem-vindo!

Clique, consulte, baixe.

Entrar
Negócios

Carne nova no pedaço: Unilever Food Solutions apresenta sua marca de produtos “plant-based” no Brasil

Postado em 21 de outubro de 2020

A multinacional anglo-holandesa Unilever, um dos maiores grupos de bens de consumo do mundo, está fortalecendo a lista de empresas de todos os portes que decidiram apostar no mercado de carnes vegetais no Brasil.

Desde o dia 17 de outubro, a Unilever Food Solutions, unidade de negócios da gigante que desenvolve soluções em produtos e serviços para o setor de alimentação fora do lar, conta com quatro produtos da linha “The Vegetarian Butcher”, que tem como base proteína texturizada de soja, óleo de girassol e óleo de coco. Vale ressaltar que o país o 31º a receber as novidades e o primeiro a criar, produzir e distribuir fora do mercado europeu.

Nesta entrevista ao portal Foodbiz Brasil, Camille Lau, gerente de Marketing da Unilever Food Solutions comentou que o mercado brasileiro terá, inicialmente, hambúrgueres, nuggets, carne moída e almôndegas produzidos a partir de vegetais com vendas focadas para o foodservice. Na visão da executiva, o foco deste lançamento é atingir o público apaixonado por carne, mas que procura uma alternativa a proteína animal.

[Portal Foodbiz] Por que apostar neste nicho de mercado no Brasil?

[Camille Lau] A Unilever Food Solutions aposta neste nicho de mercado porque ele vem em uma crescente no Brasil. As pesquisas apontam para o desejo do brasileiro em encontrar substituições para a proteína de origem animal. A nossa ideia é fazer com que essa substituição seja prazerosa para aqueles que amam o sabor e a textura da carne. The Vegetarian Butcher é um produto para gosta das características na proteína animal (como sabor e textura), mas procura alternativas para reduzir o consumo seja por saúde, ética animal ou razões ambientais.

Quais serão os produtos? Há previsão de aumentar o line-up?

The Vegetarian Butcher chega ao Brasil com nuggets, hambúrguer, carne moída e almôndegas. Decidimos lançar estes produtos com base em pesquisas que confirmam que estes fazem parte dia a dia do brasileiro. A carne moída, por exemplo, pode estar no prato feito de todos os dias, a almôndega em uma massa descomplicada, o hambúrguer na refeição informal aos finais de semana.

Queremos aproximar cada vez mais as preferências do brasileiro ao nosso produto. Estamos avaliando oportunidades para expandir o portfólio no Brasil já que possuímos uma linha muito completa com mais de 35 produtos na Europa, porém neste primeiro momento estamos focados em fazer do lançamento dos quatro primeiros um grande sucesso.

O valor dos produtos será mais elevado? Qual a estratégia de preço e vendas da Unilever Food Solutions?

O nosso produto hoje está apenas no foodservice. Mas chegamos ao mercado com um preço justo e competitivo em relação aos concorrentes.

O lançamento inicialmente não será para público final. Quando pretendem “entrar” na casa dos consumidores?

Optamos por lançar o produto primeiro no foodservice porque acreditamos que esse é o canal responsável por criar as principais tendências e as experiências memoráveis que posteriormente os consumidores vão querer replicar em suas casas. Uma vez que essa primeira etapa estiver concluída, poderemos avaliar a possibilidade de oferecer os produtos para o consumidor final.

Qual é o objetivo da Unilever Food Solutions com esse lançamento?

O objeto da Unilever é fazer com que The Vegetarian Butcher se torne o maior açougue do mundo tirando o animal da equação na produção de carne. A marca propõe uma mudança nos hábitos de consumo sem mudar as tradições, tornando a proteína no centro do prato para uma versão vegetal, porém mantendo atributos como sabor, textura e experiência.

As pessoas associam a carne vegetal como uma tendência. Como você avalia esse posicionamento. E para você, qual será a próxima tendência de alimentação?

Não enxergamos a redução no consumo de carne como uma tendência. Entendemos que se trata de uma mudança no comportamento do consumidor. Na nossa visão, a demanda por proteínas vegetais que satisfaçam as expectativas dos consumidores e tenham menor impacto ambiental só deve aumentar, e com isso aumentará também a demanda por uma maior oferta de produtos nesta categoria. Uma tendência que já podemos ver dentro da própria categoria é a busca por produtos nutricionalmente equilibrados e levamos isso em consideração ao desenvolver os lançamentos recentes.

O consumidor brasileiro está pronto para consumir produtos como os do The Vegetarian Butcher? 

Sim. O consumidor brasileiro anseia por alternativas à proteína animal. Ainda este mês o The Good Food Institute publicará um estudo em parceria com a Universidade de Bath, do Reino Unido, a fim de estabelecer o nível de aceitação do consumidor em relação às carnes vegetais (ou feitas de plantas) e cultivadas. Segundo a pesquisa, é crescente o número de interessados em consumir produtos feitos de plantas no país: 85% dos entrevistados afirmaram que provariam a carne vegetal, 72% comprariam o produto, e mais de 52% substituiria carnes convencionais por carnes feitas de plantas que possuíssem as mesmas características sensoriais (como sabor e a textura).

Foto: Divulgação

Informações de Mercado

Acesse nossas publicações

Análises do segmento de foodservice, estudos econômicos, papers relevantes, documentos selecionados para a sua tomada de decisão. A inteligência de mercado do IFB ao seu dispor.

Nome*
E-mail*
Empresa*